sexta-feira, 21 de maio de 2010

O Bem Sem Olhar Aquém.

A sociedade tem como dever a educação das crianças, ensinar-lhes valores e tudo o mais . No assunto que quero tratar, acertaram na minha educação: TEM-SE QUE FAZER O BEM. Porém, acredito não terem sido felizes na argumentação utilizada. Me alegaram que se eu fosse uma pessoa boa Deus ficaria feliz e eu seria recompensada. Justo!

Aceitei a idéia e assim continuei crescendo e questionando. Observei que a vida em muito se difere das novelas globais, vi “mocinhas” se darem mal e “vilãs” bem. Claro, não é possível rotular as pessoas, mas, grosso modo ser bom não é receita infalível ao sucesso. Vide Jesus e Barrabás (Deus et al, 0 absoluto). Aqui se faz, aqui se paga? Sinceramente? Duvido muito.

Continuei questionando, e sem peso na consciência, agia como bem entendia, mas, algo em mim me impelia a fazer boas ações. Cheguei na juventude e meus conflitos internos começaram a se resolver. Sim, deveria fazer o bem; sim, Deus (seja lá o que for isso) ficará feliz; mas, não, não vou ganhar na loteria por causa disso. Não acredito que tenha alguém no alem responsável por distribuir dádivas conforme nossa contribuição em boas ações. Não acho que o bem deva ser usado como instrumento de barganha: ajude o meio ambiente e conquiste a saúde plena. Esse pensamento pode ser perigoso, pois, se alguém faz o bem e se defronta com problemas (o que é muito comum) se rebela e critica a justiça divina, que nada tem a ver com isso.

Acredito que haja benefícios nas boas atitudes, não recebendo algo em troca, mas, na sensação de bem estar, aquela leveza, alegria e satisfação que se instala depois. É por isso que se tem que ser bom, só por isso! Acredito que haja algo que transcende nossa realidade, um Deus que seja, mas, se Ele não bate a nossa porta para nos esclarecer as coisas e se nos deixa a deriva num mundo dominado por sensações é para as usarmos.

Então, sinta-se bem, faça o bem!

Um comentário:

  1. O único objetivo de fazer o bem é implícito na frase.. não é mesmo?!

    Concordo em não haver recompensas externas, no mundo físico! Embora, por dogma, ficamos esperando que ela ocorra.. No fundo porque esquecemos de olhar para dentro de nós mesmos.. lá, quem sabe, estaria a retribuição verdadeira pelo que fazemos.

    ResponderExcluir

Nos eduquemos juntos.