segunda-feira, 2 de setembro de 2013

o preço de tudo

Eu simplesmente me choco ao ler matérias assim:

Estadão, 02 de setembro de 2013.

Não sei se sou a única, se vivo numa realidade paralela... Se deveria achar normal e não ver problema algum. Mas, para mim essa matéria deixa claro o porque de termos universidades. Lucro! Totalmente desumano, cagando para evolução da humanidade, se lixando para qualidade de vida real.
E adivinha só para onde vai esse lucro? Gringa! 
Acesse os Financial Reports da Anahnguera.
Peraí, então para podermos viver (pagar impostos de casa, ou aluguel, comprarmos alimento, roupa, lazer, cultura, documentos) temos que ter um emprego, e tem várias empresas de capital estrangeiro "investindo" no Brasil, pois nosso país tem muita sorte e fez vários acordos para ter a divina dádiva de ter essas empresas instaladas aqui! Só que para vc trabalhar na Bunge (ou onde quer que seja) tens que ter um curso superior, porque é impossível identificar um problema e resolve-lo ou analisar e melhor algo sem dominar os termos técnicos. 

Então, tu te matricula na Anhanguera, financiado pelo governo. E esse dinheiro evapora do país, sem deixar NENHUMA melhoria... Ele se materializa na forma de um Iate no Catar (isso é o ápice da insustentabilidade)

Mas, parte dos alimentos e fertilizantes produzidos na Bunge são exportados! Eba, todos ficamos muito felizes pelo Brasil crescer tanto como exportador e deixar uma balança comercial favorável! 

O país está melhorando, o sistema é maravilhoso, pois permite que todos tenham acesso a ensino "superior", e "melhorem" de vida. Ah, o capitalismo e a globalização, em plena democracia, o que seria de nós sem vocês?!

Todos com uma televisão, muitos com um carrinho na garagem, emprego, e curso superior! É um sucesso! não poderíamos querer mais nada. 

E o bom, quando você tiver câncer, graças a poluição da água, ar, solo, alimento industrializado (preciso dizer que a matriz da industria de alimento não é aqui, e nem nos oferece contrapartida?), estresse, sedentarismo, o tratamento vai ser pago pelo convênio (ou governo), e o lucro do tratamento também é calculado. Quanto mais tempo doente sem morrer, melhor para os negócios (não seu, claro). E esse lucro vai para onde e se transforma em que? Algo me diz que vai para o mesmo ralo das outras atividades.

E essa é a situação dos que tem sorte, muita sorte, e por isso todos os dias fazem uma prece para agradecer sua condição... Por isso temos a "sorte" de termos a Bunge, entre outros, aqui, para gerar emprego (ou criar problemas para vender soluções).

Pra resumir:
Subversão anárquica, a luz no fim do túnel.

ps.: não estou conseguindo comentar. mas olha o que soube hoje (27/11) esse grupo comprou a FMU... link aqui, bom assim, heim?! um monopólio educacional... ah, é claro que o maior interesse é formar cidadãos críticos e conscientes... óbvio. o lucro é apenas o resultado de se fazer o que gosta com amor e dedicação... (sqn)

Fonte: Página World Riot no face.



3 comentários:

  1. Desiste não!! esta merda cansa mesmo! Dói dar murro em ponta de faca!! Mas nosso país precisa de gente como vc, precisa de sua energia, precisa da sua fé, precisa da sua garra, precisa que vc acredite que é possível mudar o sistema!! E mais do que tudo, nosso país precisa de gente que ouça, que seja livre e liberte, nosso país precisa de amor e paz!! Eu Acredito em mim, em vc em todos nós!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Keith! Tens razão, é um sistema louco esse... posso te pedir uma coisa? Tens como explicar a parte da subversão anárquica, ou indicar algum texto sobre isso? Confesso que sei muito pouco sobre isso, só a parte mais histórica mesmo... =) Gracias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi gurias! que legal ver os comentários aqui!
      Então Lou, eu também não sei muito sobre isso, me descobri anarquista faz alguns meses.
      E por incrível que pareça comecei com Gandhi, lendo uma biografia e uma autobiografia. Lá ele descrevia suas ações e convicções políticas, e acima de tudo indicava algumas bibliografias. Cai então na leitura de "a desobediência civil" de Henry Thoreau, superindico esse livro que é curtinho e incrivelmente forte. Outro livro muito libertário que Gandhi faz várias referências é "o reino de deus está em vós" de Leon Tolstoy, esse também é intenso e transformador. e foi o que me tornou "anarquista, graças a deus" rs...
      Mas, existem alguns expoentes do anarquismo propriamente dito, acho que um dos mais referenciados é Bakunin e Emma Goldman. Mas ainda não li nenhum. Sabe como é, o mestrado as vezes nos atrasa a evolução, rs.
      Seja bem vinda à pesquisa mais libertadora, justa e linda que você pode experimentar, o anarquismo!

      Excluir

Nos eduquemos juntos.