sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Propriedade privada até quando?

Tenho lido "o homem é um ser histórico".
O que significa isso?

Significa que a decisão que você vai tomar daqui 10 minutos depende do seu passado, e o que lhe foi ensinado pelo passado do seu passado. Pela maneira como pensava sua avó e o que disso ficou impregnado no modo de pensar de sua mãe, e como foi e tem sido sua relação com ela e suas experiências de vida. Se você se mudou, se você se apaixonou, se você estudou, se você foi abusado ou oprimido, se foi humilhado ou amado na escola, se conheceu pessoas admiráveis, se cantou todas as canções do Legião Urbana, os livro que leu, essas variáveis influenciam em como você concebe o mundo e como você se encaixa nessa sua concepção de mundo.

Arte de "miniaturizar" cabeças humanas. Fonte aqui.
O meio influência em como você age. Existem diversos experimentos psicológicos que concluíram que humanos tendem a ignorar o que sabem para se adequar ao grupo (busque por Efeito Manada ou Experiência de Asch). Isso significa duas coisas, a primeira que se você for dar um rolê numa tribo africana que coleciona cabeças em miniaturas de humanos que eles caçam, e perguntar à alguém: "Você tem 5 cabeças humanas, não vê nada de errado nisso?" ele provavelmente vai lhe responder "Claro que sim, meu amigo tem 20!". Ou seja, se você está imerso num contexto onde colecionar cabeças faz parte da rotina, não verá problemas nisso. Por outro lado, se na sua cultura costuma julgar que pessoas que cortam a cabeça de outra são bárbaros (a não ser que esteja em guerra), então você vai julgar assim os que tem esse hábito e talvez deseje que sejam eliminados do mundo.

E então, vamos falar do vídeo da semana que dividiu opiniões. Eu não assisti e o pouco que sei foi de comentários do face e essa matéria do G1. Na verdade as opiniões não foram tão divididas assim, eu diria que aproximadamente 90% das pessoas se manifestaram a favor da ação do PM alegando que este deveria ser condecorado...

Bem, bem, bem... não é legal ser assaltado, não é legal ter uma arma apontada na cara, certamente a pessoa deve se sentir oprimida, assustada, violada etc. Quanto a isso eu não tenho dúvida, e nutro compaixão por quem é submetido a essa experiência.

Mas então vejamos, na matéria do G1 o bandido não estava roubando para comer, ele não iria vender, pois tratava-se de uma Hornet, ele iria apenas ostentar, o que "justificaria" ou amenizaria os tiros que tomou. E então o dono da Hornet optou por esse modelo porque? Para se locomover? Quando existem tantos outros mais econômicos... Ah, então quem trabalha e tem dinheiro pode querer ostentar... hum, interessante.

Segundo, se atuação policial ostensiva resolvesse a criminalidade certamente os índices estariam bem menores que os atuais. Basta ouvir qualquer música de RAP para notar que ação ostensiva policial vem barbarizando favelas e periferias à décadas, isso se tornou uma triste rotina. Se nos sentimos impotentes quando um bandido nos aponta uma arma, esse mesmo bandido se sentiu, não sei como ele pode ter se sentido, quando seu pai Amarildo não voltou mais para casa, por ter cometido o crime de ser preto e pobre.

Fonte aqui.
Existem dois mundos, baby. O meu, onde a polícia ilusoriamente protege. E o do Amarildo, onde a polícia destrói. E não precisa ir até o Rio de Janeiro. Sua cidade já tem pobre que sofre o bastante para lhe inspirar uma analise crítica... Papaguear que "bandido bom é bandido morto" é tão ridículo quanto, sei lá, não tem nada tão tristemente ridículo quanto isso.

Não consigo mais acreditar no conto da carochinha de que esse mundo é lindo cheio de oportunidades, que basta querer. Esse mundo "rede globo" que nunca esteve próximo a nenhum expropriado para ver que não é bem por ai que a banda toca. É interessante que pessoas que defendem a teoria de que o bandido é assim por ser um mau caráter, que não trabalha porque não quer, mas, no entanto põe seus filhos na melhor escola, compra brinquedos que estimulem o raciocínio, busca manter um clima de harmonia em casa porque leu e sabe que é fundamental para o desenvolvimento saudável de ser humano, paga centenas de reais numa escola de inglês. Porra, não fode!

Fica óbvio que as condições são absurdamente desiguais nesses 2 mundos, e querer que alguém que cresce num um bairro violento, que o estado só entra para matar, que estuda numa escola feia, fraca e sem recursos, assiste aqueles programas idiotas e totalmente distantes da sua realidade, que não vai ter fácil acesso a um livro e nem a algum local apropriado para lê-lo, que vive imerso em histórias de injustiça e abusos, querer que esse ser humano com esse histórico sorria e agradeça a oportunidade que você deu de ele recolher o coco do seu cachorro me faz ter nojo. Esse "bom comportamento" pregado pela mídia e religião, essa resignação que se tornou senso comum é humilhante, é muito mais lógico, digna e coerente a revolta "fuck you i won't do what you tell me".
Fonte aqui.

Eu particularmente, com meus princípios não me sinto confortável em pegar algo que não seja meu. Mas acho que cabe muito mais a reflexão sobre "a propriedade" do que sobre "o bandido". E nisso tenho que dizer que os protestos me fazem chorar de emoção. Ver os Black Blocs me dá vontade de enfiar uma camiseta preta na cabeça e sair correndo atuar! Eles me representam. Mas, a mídia não traz nem um relâmpago dessa reflexão. Ela simplesmente os trata como bárbaros loucos vindo do inferno... Como se fossem um bando de imbecis que gostam de ver coisas pegarem fogo, e que tem a intenção de comer crianças no jantar por sorte temos a polícia para nos proteger desses vândalos. Afe.

Mas, bem, voltando para o questionamento da propriedade privada e da atuação indecorosa dos bancos (que são alvos dos BB) gostaria de encerrar esse post com a minha mais nova esperança no mundo!

Vocês se lembram que eu havia dito que tinha 2 esperanças, no Anonymous, que bem, basta ver esses protestos ao redor do mundo para concordar que essa esperança não foi tão em vão assim, não é. E outra mais nacional era no partido Rede, que levou uma rasteira, o que significa que de fato trazia alguma ameaça ao status quo. Então, depois de elevar minha moral de palpiteira e de ter exposto um tiquinho mais a escrotice de nossa sociedade que ainda não é "civilizada" deixo uma dica de algo que merece um post especial:

Economia Baseada em Recurso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos eduquemos juntos.