terça-feira, 26 de julho de 2011

Antidoping

Eu me esforço pra entender a sociedade em que vivo, analiso até que com muita boa vontade, mas sinceramente, é muito difícil e não faz sentido pra mim. Por favor me ajudem.
Como pode na mesma semana sair uma notícia dizendo que uma das melhores vozes da atualidade (Amy Winehouse) morreu aos 27 anos, muito provavelmente (nunca ninguém afirma isso categoricamente) pelo histórico e conhecido abuso de drogas. E na mesma semana outra notícia sobre o bom desempenho do nadador Cesar Cielo, após ter sido absolvido na suspeita de doping.
Pois bem, quer dizer que dos nossos atletas cuidamos bem, nos preocupamos com rigorosíssimos exames antidoping. Ou tá bom, o mundo não é tão colorido assim, não aceitamos que um atleta supere o outro com o uso de qualquer substância química. Queremos, fazemos absoluta questão de ver o atleta integro, de ver o ser humano se superando a cada geração. Conhecer ídolos, naturalmente, mais capazes que outros, pela genética, treino e principalmente disciplina! Ah, o mundo dos esportes.
Mas, logo ali, virando a esquina tem outro mundo. O mundo artístico, e nesse a visão é outra. Liberdade artística. Bem, aqui, não nos incomoda muito o que o cara fez pra ter Aquela idéia, ou compor Aquela música. Tudo bem, se ele deixou um caretão, sem grandes capacidades de abstração pra trás. Aliás aqui o caretão nem tem muita chance, quem bota fé em artista careta? E tudo bem, se ele usa de outros atributos, além da genética e esforço físico, pra ficar pilhado cantando horas. Também não nos incomodamos com o que aquela top faz pra se manter tão esbelta. O que importa é que queremos beleza, pra ver curvas eu me vejo no espelho. Num anuncio quero a mínima porcentagem de gordura necessária para se viver.
Não, eu não consigo entender, alguém que se diz fã sugar uma dependente de drogas, sem um pinguinho de preocupação, querendo mais músicas, mais fotos, mais fatos e depois levar flores na frente da casa dela. Sem se questionar seu papel, se lamenta por mais uma “fatalidade”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos eduquemos juntos.