segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Vegetarianismo: dicas nutricionais

Nas férias em São Paulo, depois de receber diversas repreensões quanto ao meu novo hábito alimentar, tomei uma ótima decisão: me informar!

E fuxicando em uma das enormes livrarias encontrei um simpático e curto livro de capa verde "virei vegetariano, e agora?". O autor é um médico com pós em nutrição em universidade conceituada. Eba, era tudo o que eu precisava.

O livro todo é fantástico, parece um bate-papo, com o plus de trazer informações embasadas na ciência. O legal é a sensação de "uau, eu não sou uma aberração da natureza. existem pessoas que entendem, respeitam e apoiam os meus ideais." Claro, eu tenho a sorte de conviver com uma pessoa que entende, respeita e apoia meu ideal e hábito alimentar, mas não domina o assunto, por isso o livro me cativou e fez com que eu o devorasse.

Um dos motivos que me fez buscar informações confiáveis sobre vegetarianismo, foi o fato de minha irmã se mostrar extremamente preocupada comigo. Ela sempre se posicionou contra o vegetarianismo (o que é algo que não me faz o menor sentido, como alguém pode ser contra a um hábito absolutamente inofensivo?) e eu sempre a favor. Agora que eu havia me assumido vegetariana (leia-se ovolactovegetariana), o assunto ficou ainda mais sério e delicado. No quarto numa conversa íntima ela buscava me alertar, contando casos de mães que perdiam bebês por causa disso (eu preferi não informar que não pretendo ter bebê pela próxima década), me contou o caso de uma amiga pessoal dela que se tornou vegetariana e depois de alguns anos apresentou uma doença gravíssima, quase morreu, e que agora alerta todos os aspirantes a vegetarianos a não serem! Puxa vida, nesse caso, começo a me assustar. Pedi o e-mail da amiga e fui em busca de informação.

Eu sempre pensei, "mas que coisa, existem tantos indianos hindus, que vivem num dieta vegetariana". O próprio Gandhi (que agora na autobiografia vim a saber que viveu décadas como frugívoro - comendo apenas frutas e oleaginosas, 5 tipos por dia, para não causar problemas para seus anfitriões!). 

Eis que descubro no livro que ninguém morre nem fica doente por se tornar vegetariano. Pelo contrário, como se diminui consideravelmente a ingestão de gordura, reduz o nível de colesterol no sangue e pressão arterial, ocasionando a diminuição na propensão de doenças cardiovasculares (entre 20 e 30%); diminui o risco de apresentar diabetes; pedra na vesícula; câncer de próstata; câncer de intestino grosso (isso baseado em estudos científicos!). No livro não diz nada a respeito, mas eu particularmente me senti mais disposta e principalmente, reparei mudanças no meu humor, percebi menor tendência à irritação.

A melhor parte do livro foi dica para montar uma refeição equilibrada:
25% - hortaliça;
25% - cereal integral;
50% - ricos em proteína;
e uma fruta!
Perfect! Assim fica muito fácil monitorar uma dieta adequada. Um dos mitos que rondam os vegetarianos se refere à absorção de Ferro. Isso porque, o ferro presente na carne é o ferro heme, de fácil absorção, os vegetais possuem ferro não-heme, esse para ser adequadamente absorvido pelo organismo precisa da presença da vitamina C.

Quanto a vitamina B12, no meu caso não é problema, pois ainda ingiro leite e ovos. Fiquei um pouco assustada que veganos devem usar suplementos na veia dessa vitamina. Lendo a um outro artigo fui entender melhor o que acontece. Essa vitamina é sintetizada por uma certa bactéria, e animais costumam ter hábitos pouco higiênicos, eles lambem o rabo do outro, lambem o corpo, tomam água sem tratamento e acabam por ingerir a tal vitamina. Achei interessante, pois muda de figura não são os veganos que tem um hábito alimentar pouco natural, são nossos hábitos que estão menos naturais. Aliás, no livro do Gandhi ele não comenta nada de tomar suplementos de vitamina B12. 

E por fim, não posso deixar de dizer que mandei um e-mail para aquela amiga da minha irmã. Que me respondeu que de fato ela havia parado de comer carne, e no lugar das refeições comia doces... Mas, assim que normalizarem os níveis de nutrientes no sangue vai voltar a praticar o vegetarianismo, com um atenção especial!

Saiba mais: http://www.alimentacaosemcarne.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos eduquemos juntos.