sexta-feira, 19 de julho de 2013

País em protesto!

E as manifestações seguem firmes e cheias de propósito!

Não que a mídia convencional dê muito destaque... Toda vez que ligo a TV no único canal que funciona na minha casa vejo novela, 15 minutos de explicação sobre maneiras de amarrar um lenço no pescoço, crimes bárbaros (que envolvem estupro e tortura de suspeitos inocentes), "nova" forma de corrupção (a vereadora foi eleita com dinheiro de traficantes, ineeeeédito) e por aí a fora. É interessante que quando a guriazinha Isabela foi jogada pela janela era praticamente impossível não se ouvir sobre isso, e o incêndio de Sta Maria? Com debates intermináveis... Mas, sobre brasileiros reivindicando aí não, seleciona-se um grupo de baderneiros nus (quanta falta de educação - ironia mode on), ou grupos que saqueiam lojas (aquelas uma que lucram os tubos cobrando 900 reais em calças produzidas com trabalho escravo e de modo extremamente poluentes). Com o destaque de que são grupos minoritários, e que os manifestantes conscientes e bem comportados jamais fariam esse tipo de coisa nojenta e repugnante!

No entanto, fuxiquenta e cheia de esperanças que sou, vou atrás de maiores informações. O face está mais pulverizado, desde que o anonymous ficou esquisitão não tem havido uma cobertura concentrada dos protestos.

Onde já se viu depredar a fonte de lucro de bilhões de reais
de uma empresa que se dedica anos à fazer nada?!

Mas, soube por um amigo que no ES também houveram pedágios queimados, como os de Campinas. Ei, antes de ficar em dúvida sobre seu apoio à atividades tão extremistas procure considerar que em São Paulo uma agência do governo encontrou um lucro indevido de 2.000.000.000 de reis num empresa de pedágio. Aliás, que empresa é essa? Tenho um pressentimento de que haja uma única empresa com diversos nomes lucrando no nosso país, digo isso, porque minha queridíssima ECOSUL, é italiana e também explora rodovias em São Paulo (sob o nome de ECOPISTAS na Ayrton Sena e Carvalho Pinto). Bom, se ainda consideras que atear fogo em cabine de pedágio é um crime horrendo e inaceitável, lembro que houve esse ano uma ação suspeita da ECOSUL indicando alguma troca de favores entre essa e o Estado, ao conseguir despachar uma intimação muito esquisita em 6 horas de seu escritório até "líderes" de um movimento sem líderes, e na presença da polícia federal numa rodovia estadual com a clara intenção de defender a todo custo (eles portavam maquininhas de choque! quase hilário se não fosse deprimente) o interesse da empresa. Ainda assim, segundo nossa mídia tradicional, atear fogo na coisa dos outros, mesmo que seja sua, é feio e não se faz, bando de vândalos. E os manifestantes conscientes repudiam esse tipo de atitude, pois eles consideram extremamente justo e honesto pagar pedágio e concordam que todas as pessoas do país tem condição financeira disso e as que não tem não deveriam sequer ter nascido então é bom que fiquem em casa/barraco mesmo, arrependidas de existir. E que se elas são atropeladas por estarem a pé ou de bicicleta isso é devido ao fato de que não obedecem a sinalização. Eles ainda acreditam que ninguém nunca tentou por meios legais questionar o valor e a existência de pedágios e que a diplomacia poderia resolver tudo #semviolencia. Portanto, atear fogo em pedágio jamais, que atitude de vandalismo mais inaceitável essa?!

Como pode haver pessoas nuas na casa do povo?
onde nosso mundo vai parar. um local marcado pela corrupção e injustiça social vira palco
da mais pura liberdade de expressão.
A câmara de vereadores de Porto Alegre ficou ocupada por OITO dias, houve um pedido de reintegração de posse que foi suspenso, houve reunião de vereadores em churrascaria com dinheiro público e houve inclusive fotos de ativistas nus. Adivinhem qual desses fatos teve notícia em site? Afinal não é concebível pessoas peladas! Isso jamais, não chegamos tão longe na nossa evolução civilizatória para simplesmente tirarmos a roupa num local tão respeitável. Lá, onde leis absurdas são votadas afim de favorecer um pequeno grupo de investidores em detrimento de toda sociedade, justo lá onde políticos se vendem e fazem discursos eloquentes recheados de mentiras, segundas intenções e interesses ocultos, lá onde é a casa do povo desde que não haja povo algum. Ficar pelado jamais! Haja o que houver jamais tire sua roupa! A não ser que seja para servir de objeto sexual numa revista machista, ai ok, pode e tá blza. Desculpe senhores vereadores e reacionários em geral, me sinto mal em acabar com qualquer fantasia, mas tenho quase certeza de que não houve suruba nessa manifestação. A ausência de roupas foi um protesto simbólico libertário. Mas, no meu ilustre jornaleco de uma grande e importante cidade que fica à 300 e poucos km da capital POA, nada foi dito. (???)
Não se iludam. Os pacíficos são heróis, e só querem o fim
da corrupção. Os que questionam os abismos da
desigualdade social são vândalos que espalham o terror
na nossa tão justa sociedade.
Desconfio que eles alimentam-se de crianças em seus jantares.

E mais recentemente, com poucas e esparsas noticias soube que o bicho continua superpegando no Rio.

"Cabral, chegou a hora, pega o Dudu enfia no cu e vai embora"!!! Ihihihihi!!!

Eu não sei exatamente qual é desse Cabral (afinal, além de ter sido educada de maneira alienante, sou obrigada a pensar que só existo para trabalhar e que me informar, me politizar e postar num blog é uma vadiagem vergonhosa), pelos videos que assisti o capeta, digo Cabral, vendeu a cidade às empreiteiras, passando por cima de tudo e todos, demolindo casas e desapropriando famílias, pobres, claro. Aquelas que não conseguem pagar pedágio e portanto não deveriam nem ter nascido (só que não). E pasmem, sobre isso saiu uma matéria no jornaleco local! Ahhh, entendi, as notícias daqui saem ali, a de lá vem pra cá e assim ninguém se entende e nem sabe o que tá pegando de verdade. E a notícia do jornaleco me deu clareza e bastante empatia às ações "vândalas e criminosas" realizadas. Pois a notícia do G1 está tão tendenciosa que me dói a barriga. No jornaleco daqui dizem que as lojas de grife foram quebradas saqueadas e as roupas (obviamente que não todas e nem foi uma ação ensaiada onde todos os milhares da manifestantes agem iguais como soldados ou robôs) foram entregues a meninos de rua, outras foram digamos usada numa incrível e subversiva "queima de estoque"! E detalhe, o "sem violência" agora tem uma resposta imediata "sem moralismo".

Em minha opinião, como deve ter dado pra notar ao longo do texto a manifestação deve ser sem violência à vida, como vem sendo desde sempre, ao contrário de muitas ações políticas e comerciais, que literalmente matam diariamente as pessoas, inclusive de fome, afinal o alimento produzido hoje no mundo seria capaz de alimentar 12 bilhões de pessoas, mas a cada 5 segundos uma criança de menos de 10 anos morre de fome. é o que se denomina geopolítica da fome. Algo que não vai mudar sem ações enérgicas. Claro que em nenhum momento os manifestantes questionaram diretamente a questão da fome, e se o fizeram não foi manchete, afinal a mídia escolhe muito bem quem vai ser considerado herói na história. Mas, a destruição de bancos e estabelecimentos comerciais significa sim muita coisa, e para mim essa "coisa" não corrobora com a visão de que seja um bando (termo usado no site do jornal hoje) de baderneiros. Unicamente pelo fato de escolha da depredação. Não foi casa alheia (como faz o governo e empreiteiros), não foi espaço público, foram bancos e lojas de grife, ocupação (SEM DEPREDAÇÃO) de órgãos públicos e rua do capeta, digo governador. PONTO. Se esse "recado" não está claro o bastante eu não sei mais o que pode ser.

Ps.: Se alguém tiver uma fonte legal, tipo um blog, sobre os protestos do Rio e outra capitais peço encarecidamente que compartilhe.
um canal do youtube que gosto é esse:
http://www.youtube.com/watch?v=UeQS09JXjbY


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nos eduquemos juntos.